Várias datas Vários locais

Hora: 21:30
Promotor: MALPEVENT - CONSULTORIA E PRODUÇÃO DE EVENTOS
Preço: 20,00€
Idade: M/06

Neste que será também o ano da reedição em disco de “10.000 anos depois entre Vénus e Marte”, José Cid volta a apresentar ao vivo a obra que lhe valeu a internacionalização, a 1 de Maio na Aula Magna e a 6 na Casa da Música. 

Corria o ano de 1978 quando José Cid lançou pela editora Orfeu aquela que viria a tornar-se uma das obras de maior sucesso de Rock Sinfónico do mundo: “10.000 anos depois entre Vénus e Marte”. Passados quase 40 anos, volta agora a trazer a palco a história ficcional do homem e da mulher que regressam à terra 10.000 anos depois da sua total destruição, para repovoá-la.

O primeiro álbum de rock espacial português, baseado na ficção científica, conta com o mellotron e os sintetizadores para lhe conferir uma sonoridade caraterística, elevando assim o som base de guitarra, baixo e bateria originalmente criado por José com Mike Sergeant, Ramon Galarza e Zé Nabo.

Aclamado pela crítica, este foi considerado pela “Billboard” um dos melhores 100 discos de Rock Progressivo do mundo de todo o sempre. Falámos com o cantor sobre este regresso e lançámos-lhe um desafio.

TLM – Como é, para si, recuar 40 anos para o passado?

JC – 10.000 anos depois entre Vénus e Marte tornou-se um concerto absolutamente atual, urgente e nada passadista. Há 40 anos, estava muito à frente do seu tempo, por isso tenho que o cantar hoje e pensar em termos de futuro.

TLM – O que é que os seus fãs podem esperar destes dois espetáculos?

JC – O concerto tem vindo a evoluir muito, tanto técnica como musicalmente. Está melhor, mais conclusivo do que há três anos. Quando forem ao concerto, quer em Lisboa, quer no Porto, podem crer que vão gostar ainda mais. Os meus fãs desta área musical têm uma onda muito própria e uma exigência musical muito criteriosa.

TLM – Com qual dos registos se identifica mais: com as baladas ou com o rock?

JC – São mundos diferentes e eu sou muito camaleónico! Continuo a cantar no registo de há 30 anos. Mas hoje, canto com mais swing e mais alma, mas de uma forma mais contida. O rock também pode ter baladas…

Complete as frases

Portugal é… o melhor país do mundo!

O meu hobby preferido é… dormir 12 horas por dia, fazer música e poesia é a minha profissão…

Se viajasse para o futuro, mudaria… de galáxia

Quando era jovem pensava que ia ser… Cantor na rádio… pois não havia ainda televisão…