Sueca, 31 anos, cantora. Anna von Hausswolff vem a Portugal apresentar, no Misty Fest 2018, o seu mais recente trabalho: “Dead Magic”. Os concertos estão agendados para o Teatro Tivoli BBVA, dia 1 de novembro, e para a Casa da Música, a 4 de novembro.

O seu terceiro álbum, “The Miraculous”, trouxe-lhe uma maior atenção mediática e tornou Anna von Hausswolff como uma das maiores surpresas musicais do ano de 2015. O jornal de referência “The Guardian” descreveu-o como o mais negro e profundo da sua carreira, uma espécie de “um ópus ambicioso”. Mas é o “Dead Magic”, lançado este ano, que reúne agora as atenções sobre a artista. O seu mais recente e aclamado trabalho tem carimbo editorial da prestigiada etiqueta City Slang e conta com produção de Randall Dunn, colaborador habitual dos mais notórios embaixadores do chamado drone metal, os reconhecidos Sun 0))).

O reportório da cantora nascida em Gotemburgo apoia-se sobretudo nas texturas solenes e algo fúnebres do orgão, instrumento cuja sonoridade tanto se tornou um recurso essencial para os compositores que assinaram requiems, como para os autores de bandas sonoras que escreveram peças para filmes de terror. Detentora de uma voz de soprano – que já lhe valeu comparações a Kate Bush -, usa esse instrumento como uma das mais distintivas marcas da sua arte e embarca por canções longas e profundas, que parecem explorar os mais obscuros recantos da alma humana.

A sua musicalidade sombria, tanto ao vivo como em disco, representa uma atualidade menos animadora, com conflitos em vários pontos do mundo e ameaças globais de vária ordem a imporem ao mundo o peso de uma sombria realidade. Anna von Hausswolff tem a particularidade de transportar o público para uma atmosfera muito própria, o que torna os seus espetáculos uma das mais arrebatadoras experiências que a música contemporânea pode proporcionar.

COMPRAR