Uma peça para rir, mas com um conceito diferente, um conceito que não tem nada de elaborado sem ser, precisamente, o nada.

No seio da loucura humana jaz a verdade e a honestidade. Com ou sem lógica, tudo o que sai da boca deste homem, acaba por tocar no coração de outrem. A extraordinária história pinta um homem vulgar, que não se destaca de qualquer um de nós, com exceção, claro, o simples bigode debaixo do nariz.

Este senhor detém a habilidade de conseguir ficar horas e horas a fio, a falar com uma linha de pensamento que não tem seguimento, nem linha por onde se guiar e, aos olhos que desviam o olhar, acaba por ser uma conversa com pouco por onde se aproveitar, alguns até dizem que de nada fala. Pois bem, um espetáculo sobre nada e, mesmo assim, assume contornos de comédia aliados à verdade.  “Deixa as mulheres em paz” em cena na Sociedade Musical Ordem e Progresso, em Lisboa, todas as quintas e sextas-feiras, até dia 30 de março

COMPRAR