DEPOIS DE EM 2016 TEREM PERCORRIDO O PAÍS DE NORTE A SUL, OS AZEITONAS VOLTAM À ESTRADA COM UM NOVO ESPECTÁCULO EM FORMATO ACÚSTICO. 28 DE OUTUBRO NO TEATRO DE VILA REAL, 3 DE NOVEMBRO NO CCB EM LISBOA E 22 DE NOVEMBRO NA CASA DA MÚSICA NO PORTO.

Estão a ter um ano em grande, com várias datas por todo o país. Como está a correr?

Muito bem. Além dos concertos ao ar livre e para grandes públicos, temos feito alguns auditórios num registo mais intimista. O que nos permite abordar alguns temas de forma diferente e permite também tocar outros, mais calmos, que se adequam mais a espaços fechados.

Um momento especial nesta digressão até agora?

Talvez em Vila do Conde porque o lugar parecia-nos um pouco isolado, longe do centro. Até meia hora antes do concerto não havia ninguém. Pensámos que não ia haver muita gente. Mas entre o trocar de roupa tudo mudou enchendo-se por completo com um público bastante participativo. No fundo, uma óptima surpresa!

Até que ponto a saída do Miguel Araújo influencioua composição e evolução da banda?

Bastante. Na medida em que agora quem está à frente da composição somos nós os três (Nena, Salsa, Marlon). O Miguel saindo, sabíamos que tínhamos de ser nós a assumir a composição. Está a correr muito bem. Já temos algumas composições gravadas e outras em vias de ser.

Nesta digressão 2017 o que estão a oferecer de novo aos vossos fãs?

Temos tocado o “Fundo da Garrafa”, single lançado em janeiro. Os tais concertos em auditório e andamos em vias de adicionar ao alinhamento o nosso mais recente lançamento “Não há Direito”. Além de termos ido repescar temas que já não tocávamos há muitos anos. Temos também novos elementos na banda que vieram enriquecer a sonoridade da mesma.

Em Novembro vão ter dois acústicos “especiais”, o que podem desvendar?

É algo que já queremos fazer há muitos anos. Aqui sim, as músicas vão sofrer roupagens totalmente novas. A nível de cenografi a também vamos ter algo totalmente novo e pensado especialmente para estas duas datas. Vamos espremer ao máximo os nossos recursos humanos para podermos fazer algo realmente especial e único. É uma promessa que fazemos.

Quais os projetos para 2018?

Lançar um novo álbum de originais em Fevereiro e levá-lo para a estrada!

COMPRAR