Assista ao Festival Periferias na Casa de Teatro de Sintra, dia 10 de março.

PRETA parte das memórias de Giovanni Lourenço, do período em que nos anos 90, chegado de Luanda, passa a viver no Bairro do Fim do Mundo. O corpo reencontra os gestos e os itinerários da transição da infância para a juventude. Preta era a cadela feroz que delimitava a fronteira entre a casa e a escola, obrigando a experimentar movimentos de fuga, de silêncio e de transgressão. Dia 10 de março, na Casa de Teatro de Sintra, não perca esta performance.

COMPRAR