Quem não se lembra do motivo «Pa-Pa Pa-Pa» do dueto entre Papageno e Papagena? E dos agudos certeiros da ária da Rainha da Noite? Estes são os momentos mais populares d’A Flauta Mágica. Mas há muito mais que descobrir nesta ópera, por muitos considerada a melhor entre todas as que Wolfgang Amadeus Mozart escreveu.

A flauta mágica sobe a palco no teatro Thalia em Lisboa nos dias 2 e 4 de fevereiro. Haverá semelhanças com o poder encantatório da lira e do canto de Orfeu. Mas, desde já se garante, tudo acaba melhor, com o Bem vencendo o Mal, e os amores devidamente celebrados.

COMPRAR