JAMIE CULLUM FAZ MAGIA COM A MÚSICA DOS OUTROS E TRANSFORMA-A NO MELHOR JAZZ. AGORA TEM NOVO DISCO E VEM MOSTRAR O SEU TALENTO AOS JARDINS DE SERRALVES A 28 JULHO. À TICKETLINE, CONFESSOU-SE FÃ DE SALVADOR SOBRAL. E, QUEM SABE, ATÉ PODE VIR A FAZER UMA COVER DA MÚSICA DO VENCEDOR PORTUGUÊS DA EUROVISÃO

Texto: Sofia Canelas de Castro

Se tivesse de mudar de país, “Portugal estava no topo da lista”. A garantia é dada por Jamie Cullum, cantor repetente nos palcos nacionais e apaixonado pelo nosso país. “Percebo perfeitamente que a Madonna queira viver aí”, brinca o britânico, quando questionado sobre a visita recente da cantora pop britânica e das notícias recentes que falam do seu interesse em mudar-se para Portugal. “Esse país é único: vocês têm as praias, a comida incrível, excelente vinho, segurança…”
Jamie Cullum sabe do que fala: já andou pelo mundo, amealhou prémios (Brit Awards, Grammy, Globo de Ouro), mas volta várias vezes a Portugal – adoro Serralves, lindíssimo! – e conhece bem o público fiel que o segue a cada novo espetáculo. “Os portugueses são completamente apaixonados e energéticos”, sublinha.

Tal como ele: enérgico, multifacetado, talentoso. E recatado. “Gosto de estar com a minha mulher e os meus filhos, em família, no campo, onde moro [nos arredores de Londres]”, admite o cantor de 37 anos. Casado com Sophie Dahl, modelo, autora e apresentadora de um popular programa de culinária, e pai de dois filhos, Cullum é avesso a festas e àquele ‘buzz’ habitual no mundo do espetáculo. “Não dou muita importância a esse lado das celebridades, é bem mais fácil do que parece manter-me à margem”, desabafa o cantor. E daí que seja raro ver o elegante casal em eventos muito mediáticos e passadeiras vermelhas. Cada vez que vão, dão nas vistas. Pelo reconhecimento do trabalho de ambos, claro está; pela elegância e… pela diferença de alturas, já que Sophie mede 1,83 m, quase mais 20 centímetros do que o marido.

NOVO DISCO QUASE PRONTO
À margem dos holofotes, é mesmo ao piano lá de casa que tudo começa e que Jamie reinventa o jazz, fazendo renascer nas suas melodias deliciosas grandes êxitos de nomes como Rihanna, Ed Sheeran ou Justin Bieber. Agora, aventura-se por territórios mais “próprios”, com músicas suas e novinhas em folha para apresentar no Porto, nos Jardins de Serralves, a 28 de julho. As covers (versões) de sucessos que todos conhecem também podem constar do alinhamento, mas há material pronto a estrear que os portugueses vão ouvir. Tudo é decidido na hora…
“Eu nunca tenho o alinhamento decidido antes dos espetáculos, decido o que quero tocar ali mesmo, no momento”, explica Jamie Cullum. “O novo álbum está quase pronto e tem um lado mais pessoal, intimista com músicas minhas, originais”, acrescenta o cantor dos sete instrumentos e que, em algumas músicas, poderá tocar piano, guitarra, bateria. “São canções clássicas e não necessariamente jazz, há algo de gospel, piano, bateria, guitarra”, desvenda o cantor que gosta de cantar a “vida em toda a sua complexidade”.

UMA VERSÃO PARA SALVADOR SOBRAL Nada complexo é Salvador Sobral.
“Ele não tenta ser outra pessoa, ganhou muito à sua maneira. Tal como a cultura portuguesa, muito própria. E daí o sucesso”, comenta Jamie Cullum sobre a vitória do jovem na Eurovisão, com a música ‘Amar pelos Dois’. O britânico conhece bem os manos Sobral – em 2013 fez um dueto com Luísa Sobral em ‘She Walked Down the Aisle’ para o álbum da cantora (‘There’s a Flower in My Be- droom’) e até admite fazer uma cover para a música do Salvador Sobral?! “Até pode acontecer!”