“O Escândalo de Philippe Dussaert” é um texto que investiga com muito humor os limites da arte contemporânea e as polémicas à volta do assunto.

Nesta peça, o autor usa a figura de um pintor contemporâneo para fazer uma reflexão sobre o que é, e o que não é, a arte – o tema é terreno fértil para infindáveis controvérsias, polémicas e situações hilariantes.
“Como autor, director ou ator, quero cada vez mais debruçar-me sobre temas contemporâneos. O Escândalo de Philippe Dussaert permite uma investigação onde o ator e a plateia, de uma forma divertida e surpreendente, desvendam um dos maiores escândalos da história da arte contemporânea”, afirma Marcos Caruso.

Nesta comédia, vencedora dos principais prémios nas categorias de “Melhor Ator” e “Melhor Espectáculo” no Brasil durante o ano de 2017, Marcos Caruso veste a pele de um conferencista que divide com o público a investigação do escândalo que envolveu o pintor francês. Na história, as obras do pintor, após a sua morte, vão a leilão avaliadas por uma fortuna, deixando o Estado numa delicada relação com o dinheiro público e despertando a plateia para a discussão sobre se o que Dussaert fez é de facto arte e digno de nota, ou não. A partir de dia 8 de fevereiro, com várias datas a seu dispor, todas as quartas, quintas, sextas, sábados e domingos.

COMPRAR