A Orquestra Metropolitana de Lisboa sobe ao palco do Teatro Thalia a 24 de fevereiro para um concerto a não perder.

O título que Hector Berlioz deu ao ciclo de canções Les nuits d’été faz alusão à comédia de Shakespeare Um sonho de uma noite de verão. Com efeito, duas das seis canções reconhecem-se no espírito feérico e primaveril que atravessa a obra do escritor inglês. Mas as restantes mergulham em sentimentos mais profundos, indo ao encontro dos poemas de Théophile Gautier que ouviremos cantados na voz de Carolina Figueiredo. O maestro Christopher Bochmann completa o programa com outras duas obras de compositores também franceses. De Maurice Ravel, ouviremos Le tombeau de Couperin, de 1919, um memorial de guerra que, na vez de tristeza e heroísmo, nos surpreende com uma suíte de danças barrocas. Em tom sarcástico, remete para a nostalgia e graciosidade de uma experiência pouco provável em contexto de guerra. Pelo meio, terá lugar a estreia absoluta da obra mais recente de Alain Bioteau, compositor e musicólogo que sente em casa do nosso país há já muitos anos. O título é mesmo este (sem de), Impressões Lisboa.

COMPRAR