“Trinca de Ases” é um espetáculo que junta Gal Costa, Gilberto Gil e Nando Reis, 3 grandes nomes da música brasileira. Tivemos a oportunidade de entrevistá-los sobre o projeto e que surpresas irão trazer aos portugueses. Ao fim de alguns espetáculos pelo Brasil, estreiam-se dias 9 e 10 de março no Campo Pequeno, em Lisboa, e dia 11 no Coliseu Porto.

1) Porquê o nome “Trinca de Ases”?
Trinca: O nome surgiu de forma bem simples… apostamos em trinca de ases porque é bela jogada do póquer. Somos três “ÁS”, três poetas da canção.

2) “Três mosqueteiros, três patetas, três poetas da canção.” Já diz o tema de Gilberto Gil, que batizou este projeto. Com qual destes personagens se identifica mais cada um de vocês?
Trinca: Essa identificação surge mas em outro momento do tema, a moça é a Gal, o rapaz maduro calejado pela idade é o Gil e o menino impetuoso e viril, o Nando. Os três somos mosqueteiros, patetas e poetas e estamos juntos para celebrar a história de cada um.

3) O que levou à criação deste trio? E porquê Gil, Nando e Gal e não outros artistas do panorama musical brasileiro? Há alguma cumplicidade especial?
Nando: O projeto nasceu em 2016, em um show em homenagem ao que seria o centenário de nascimento de Ulysses Guimarães, em Brasília, idealizado pelo jornalista Jorge Bastos Moreno. Ele chamou Gil, que convidou Gal e eu. A sintonia no palco foi tanta, tivemos uma identificação imediata, uma química que deu muito certo. E a partir daí começamos a conversar sobre prolongar o encontro e transformar o show em um turnê maior. Organizámos então as nossas agendas e começámos a encontrar para decidir reportório, ensaiar e tudo mais.
Gal: O Gil é um parceiro de longa data, um irmão. Entendemo-nos no palco e nada vida de uma forma única. E com o Nando a adaptação foi imediata. Ele tem um entusiasmo que nos motiva mais ainda.
Gil: O idealizador do evento em Brasília deixou-nos livres para escolhermos.  Gal foi uma escolha natural e logo pensei no Nando cujo trabalho vem me interessando cada vez mais.

 

Gil, Gal e Nando

4) Estamos perante três grandes nomes da música brasileira. Nando é o “caçula”, sendo Gal e Gil amigos de longa data. Foi fácil o relacionamento enquanto artistas e mesmo a nível pessoal? Falem-nos dessa experiência.
Nando: A sintonia foi imediata. Eu admiro demais Gal e Gil. São artistas muito importantes para a minha formação como músico e como indivíduo também. Identifico-me com a forma que o Gil compõe e foi um prazer dividir esses momentos de criação com ele. E ver a Gal cantar as minhas canções é muito emocionante.
Gal Costa:Com o Gil eu tenho uma afinidade antiga, que posso considerar espiritual. Estar com ele no palco é sempre mágico e emocionante. Com o Nando, tenho a certeza que é só o começo de muitas parcerias, ele é um compositor muito talentoso. Descobri uma beleza que desconhecia na maioria das suas músicas.

5) Em palco, mais do que um trio, vai haver um quinteto, com a adição do baixista pernambucano Magno Brito e o percussionista baiano Kainan do Jêjê. Porquê estes dois músicos? 
Gil: São dois músicos muito jovens, que tocam com os meus filhos e netos e que me foram sugeridos por eles. O Kainan toca inclusive com a Ivete.

6) O projeto “trinca de ases” teve o primeiro espetáculo em agosto de 2017, em São Paulo. Depois atuou em várias cidades brasileiras. Porque escolheram Portugal para a vossa primeira atuação “fora de casa”?
Gil: Portugal é um país irmão e o país europeu mais próximo geograficamente do Brasil. Por isso decidimos começar por aí!

Nando, Gal e Gil

7) “Trinca de Ases” é também o nome de uma das canções do reportório inédito. A esta juntam-se “Dupla de Ás”, “Tocarte” e “Mãe de todas as vozes”. Qual destes temas irá fazer vibrar mais os portugueses?
Nando: Acredito que todos. Assim como as versões que fizemos para as músicas antigas também. Temos a certeza que o público vai se emocionar muito, pois foi tudo preparado com muita dedicação.

8) Além destes quatro inéditos, o reportório é composto por canções dos três e sobejamente conhecidas no nosso país. É possível desvendar um pouco dos temas individuais que irão ser interpretados cá?
Nando: Entre as músicas que fazem parte do reportório estão “Baby”, “Refavela” e “O segundo sol”.
Gil: Não sou adepto de revelar o repertório de um show antes dele acontecer pois acho o elemento surpresa muito importante! Portugal vamos aguardar, 9 e 10 março no Campo Pequeno e 11 de março no Coliseu Porto.

9) Este projeto conta também com músicas de outros artistas? Se sim, quais?
Gal: Não. São músicas inéditas feitas pelo Trinca de Ases e também sucessos do nosso reportório, que levaram outras roupagens.

10) Haverá artistas convidados em palco?
Nando: Não. Somos apenas os três. Gil, Gal e eu.

11) Os espetáculos em terras lusas vão seguir o alinhamento programado para o público brasileiro ou optaram por modificá-lo? Ou seja, o que podemos esperar da vossa estreia em Portugal?
Nando: O show segue a mesma linha e o mesmo reportório das apresentações que fizemos no Brasil. Estamos ansiosos para levar esse show para Portugal.
Gil: Vamos seguir o roteiro que temos apresentado por todos os lugares por onde temos andado. Pode ser que quando comecemos a ensaiar (final de fevereiro) surja a ideia de acrescentar algo especial para esses shows. Até lá.

COMPRAR